Categoria: Economia

O uso do cheque especial continua alto, mesmo com autorregulação

Da Redação SPRIO+ Publicado em 4/08/2019, às 8:43 • Atualizado em 4/08/19, às 8:42




Kelly Oliveira/Agência Brasil

O uso do cheque especial continua alto, mesmo com autorregulação

O uso do cheque especial, modalidade de crédito mais cara para as famílias, continua alto – mesmo após o anúncio da autorregulação, estratégia adotada por bancos há pouco mais de um ano.

A medida entrou em vigor em julho de 2018 e estabelece a oferta automática de parcelamento mais barato para consumidores que usam mais de 15% do limite por 30 dias consecutivos.

A oferta é feita nos canais de relacionamento e é o cliente quem decide se adere à proposta. Caso não aceite, um novo contato é feito a cada 30 dias.

Números

De acordo com dados do Banco Central (BC), em junho deste ano, o saldo do cheque especial (R$ 25,755 bilhões) representava 2,5% do crédito livre ofertado para as famílias (R$ 1,008 trilhão). Em junho de 2018, o percentual estava em 2,7%, com saldo do cheque especial em R$ 23,970 bilhões.

No caso das concessões, o cheque especial (R$ 30,885 bilhões) foi responsável por 18,4% do crédito liberado pelos bancos para as famílias (R$168,2 bilhões) em junho deste ano. No mesmo mês de 2018, o percentual era 20,4%, com concessões do cheque especial em R$ 30,721 bilhões.

Já a taxa de juros subiu de 304,9% ao ano (12,4% ao mês) em junho de 2018 para 322,2% ao ano (12,8% ao mês) em junho deste ano – modalidade mais cara do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes.

Segundo o BC, o cheque especial tem “participação modesta” na carteira de crédito total do sistema bancário, mas foi responsável por aproximadamente 10% da margem de lucro de juros líquida (descontada a provisão para inadimplência). Outro dado apontado pelo estudo é que a maioria dos usuários do cheque especial pertence a uma faixa renda mais baixa, de até dois salários mínimos.

Avaliação

Para o diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), Miguel de Oliveira, as medidas de autorregulação não atingiram o objetivo esperado, que era reduzir o uso do cheque especial.

“Desde o início, eu dizia que só iria funcionar se fosse obrigatório [o repasse da dívida para o crédito pessoal com taxa menor]. Quando não é obrigatório, há comodismo tanto por parte dos bancos, que recebem juros maiores, quanto dos clientes, que não vão em busca de outra opção”, disse.

Oliveira acrescentou que, antes, “o vilão” dos juros altos era o cartão de crédito, mas, com a regulamentação imposta pelo governo, o líder em taxa de juros alta passou a ser o cheque especial. No caso do cartão de crédito, o rotativo dura 30 dias. Após esse prazo, as instituições financeiras têm que parcelar a dívida, o que é feito com uma taxa menor.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) destaca que mais de 12 milhões de pessoas trocaram o cheque especial pelo crédito parcelado no primeiro ano de vigência das novas regras.

Para Oliveira, parte desses 12 milhões de pessoas podem ter voltado a usar o cheque especial e outros clientes podem ter caído na modalidade de crédito, já que o saldo e as concessões não mostraram alterações significativas ao longo de um ano. “Se a taxa não fosse tão alta, não seria um problema”, disse.

Segundo a Febraban, quem migrou para a modalidade parcelada pagou juros menores. A taxa média paga por quem optou pela mudança, em junho, passou de 12,48% ao mês (cheque especial) para 3,09% ao mês (crédito parcelado), de acordo com levantamento feito pela Febraban com 12 bancos que representam cerca de 90% do mercado brasileiro do produto.

A pesquisa também mostrou que os juros cobrados na linha de crédito alternativa caíram 13% ao longo dos 12 meses, de 3,54% ao mês para 3,09% ao mês.

Para o diretor de Autorregulação da Febraban, Amaury Oliva, a medida tem balanço positivo após um ano de vigência. “Um dos objetivos era incentivar o uso consciente do cheque especial, destinado a situações emergenciais e por curto tempo. Os bancos passaram a enviar alertas e a diferenciar o saldo do cliente e o limite do cheque especial. Não havia um padrão entre os bancos”, destacou.

Oliva também destacou que os clientes passaram a ter acesso facilitado a uma linha de crédito mais barata, em alternativa ao cheque especial.

Procurado, o Banco Central disse que não comentaria sobre o assunto.

Entenda

Pelas regras da autorregulação, nos extratos bancários dos clientes, o saldo em conta deve ser informado de forma separada do limite do cheque especial, para que o usuário não confunda o valor do crédito como sendo saldo positivo da própria conta.

A iniciativa dos bancos também estabeleceu que as instituições financeiras passassem a usar os canais de relacionamento com o cliente, como internet e telefone, para alertar o consumidor toda vez que ele entrar no cheque especial. No alerta, os bancos informam que esse crédito deve ser utilizado em situações emergenciais e temporárias.



A matéria continua após a publicidade
Publicidade

Deixe seu comentário:
Os comentários não representam a opinião da SP Rio +. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Últimas noticias
Esporte, Política

Obra de cobertura do Teatrão vai atrasar, ao menos, dois meses em São José

Teatrão. Obra da cobertura ficou parada dois meses – Foto: Claudio Vieira/PMSJC
A obra de demolição do telhado do Centro de …

17 horas atrás
Cidades, Política

Em recesso, Câmara dos Vereadores de Taubaté não terá sessões em julho

Plenário da Câmara de Taubaté – Foto: Divulgação/CMT
Após aprovação do projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) na última terça-feira …

17 horas atrás
Cidades, Destaque, Saúde

São José ultrapassa marca de 100 mortes pela Covid-19 e chega a 3.360 casos; zona sul lidera ranking

Pandemia em São José – Foto: Sergio Nascimento
São José dos Campos ultrapassou a marca de 100 mortes pela Covid-19 nesta …

2 dias atrás
Cidades

Fundo Social produz máscaras que permitem leitura labial em Ilhabela

Máscaras com visor permitem leitura de labial. Foto: PMI
O Fundo Social de Solidariedade confeccionou máscaras especiais para pacientes com deficiência …

2 dias atrás
Cidades, Esporte

Leticia Aguiar apresenta projeto para declarar São Bento do Sapucaí como ‘Capital do Esporte Radical’

Rapel na pedra. Foto: Prefeitura de São Bento do Sapucaí
A deputada estadual, Leticial Aguiar (PSL), apresentou na Assembleia Legislativa de …

2 dias atrás
Cidades

Justiça determina que secretário condenado por improbidade seja exonerado em Ilhabela

Foto: Divulgação/PMI
A Justiça determinou que a Prefeitura de Ilhabela exonere Luis Antônio dos Santos do cargo que comanda à frente …

2 dias atrás
Cidades, Emprego

PAT de Caraguatatuba abre 32 vagas de emprego nesta sexta-feira

Foto: Divulgação
O PAT de Caraguatatuba iniciou a sexta-feira (3), com 32 vagas de emprego abertas para diferentes áreas e grau …

2 dias atrás
Cidades, Saúde

São Sebastião volta a abrir praias para atividades esportivas individuais

Foto: Divulgação/PMSS
A Prefeitura de São Sebastião informou nesta quinta-feira (2) que irá voltar a reabrir as praias para a prática …

2 dias atrás
Cidades, Economia

Comércio ambulante de Taubaté terá retomada gradual a partir da próxima semana

Foto: Caique Toledo/OVale
A Prefeitura de Taubaté decidiu liberar gradualmente o retorno do comércio ambulante a partir da próxima segunda-feira (6).
Nessa …

2 dias atrás
Cidades, Esporte

Equipes esportivas fazem gincana para arrecadar alimentos em São José

Gincana quer arrecadar alimentos – Foto: Claudio Vieira/PMSJC
As equipes de basquete, rugby e voleibol que representam São José dos Campos …

2 dias atrás