Categoria: Justiça

PF indicia 13 pessoas por usar relatório fraudulento em Brumadinho

Indiciados são funcionários da Vale e da Tüv Süd

Léo Rodrigues/Agência Brasil Publicado em 21/09/2019, às 10:30 • Atualizado em 21/09/19, às 10:38




PF indicia 13 pessoas por usar relatório fraudulento em Brumadinho

A Polícia Federal (PF) indiciou nesta sexta-feira (20) sete funcionários da mineradora Vale e seis da consultoria alemã Tüv Süd por falsidade ideológica e uso de documentos falsos. As duas empresas também foram indiciadas. Os crimes estão relacionados com o rompimento da barragem ocorrido em Brumadinho (MG), em janeiro desse ano. A investigação da tragédia foi desmembrada. A apuração sobre os crimes ambientais e contra a vida continuam em andamento.

Os crimes de falsidade ideológica e uso de documento falso estão previstos no Artigo 69º da Lei de Crimes Ambientais. Segundo a PF, houve elaboração fraudulenta do relatório de revisão periódica de segurança de barragem apresentado pela Tüv Süd em junho de 2018 e, consequentemente, da declaração de condição estabilidade. Em setembro, a consultora alemã realizou ainda uma inspeção de segurança, gerando mais um documento que teria sido fruto de fraude.

De acordo com o delegado Luiz Augusto Nogueira, para os crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos, as provas são robustas. O relatório conclusivo desta parte da investigação foi apresentado nesta sexta-feira. Foram ouvidas 80 pessoas e realizadas 34 perícias. Nenhum dos indiciados pertence ao alto escalão da Vale.

“A elaboração dos documentos envolvidos ocorre em um nível técnico. Não chega a ser trabalhada pela gestão da empresa. Isso não exime a empresa ou os gestores pelas práticas dos demais crimes que continuam sendo investigados: os crimes contra a vida e os crimes ambientais”, disse Nogueira.

Segundo o delegado, para caracterizar os outros crimes serão realizadas perícias para descobrir qual foi o gatilho da liquefação, isto é, o que fez com que o rejeito que estava sólido dentro da barragem se convertesse em fluido. Ele disse que as apurações buscarão ainda identificar condutas individualizadas de cada um dos possíveis responsáveis e também avaliar se houve dolo.

O rompimento da barragem da Vale causou ao menos 249 mortes, além da poluição ambiental e da destruição de comunidades. Ainda estão desparecidas 21 pessoas. A Tüv Süd é a empresa que assinou o último atestado de estabilidade da estrutura. O documento é obrigatório para que a barragem pudesse estar em operação.

Segundo o delegado Renato Madsen, que também integrou as investigações, não haviam elementos suficientes para que a estabilidade fosse atestada. “A investigação revelou que houve um deturpação dessa condição de estabilidade. Na verdade, a barragem não tinha a segurança que os documentos supunham. A declaração de estabilidade não deveria ter sido dada, o que acarretaria em diversas medidas a serem adotadas pelos órgãos públicos e pela empresa”.

Documentos falsos

A declaração de estabilidade da barragem foi assinada pelo engenheiro Makoto Namba, da Tüv Süd, e por César Grandchamp, geólogo da Vale. Os dois estão entre os indiciados. Os outros cinco indiciados da consultora alemã são André Yassuda, Arsenio Negro Júnior, Marlísio Cecílio, Ana Paula Toledo e o alemão Chris Peter-Meier. Este último é o diretor da Tüv Süd que teria dado o aval para a assinatura do documento.

“Os técnicos no Brasil fizeram os estudos e chegaram à conclusão que o fator de segurança não era o recomendado. Então consultaram a Tüv Süd sede para apresentar essa situação e perguntar se, mesmo assim, deveriam atestar a condição de estabilidade”, explicou Renato Mattos.

Pela Vale, foram também indiciados Alexandre Campanha, Marilene Lopes, Felipe Rocha, Washington Pirete, Cristina Malheiros e Andréa Dornas. De acordo com as investigações, os técnicos da Vale também tinham ciência de que o documento não representava a realidade. Um painel com especialistas realizado pela mineradora em 2017 concluiu que o fator de segurança mínimo recomendável para estruturas como a barragem de Brumadinho era 1,3. Os estudos da Tüv Süd chegaram ao fator de segurança de 1,09.

Segundo os delegados, os empregados tinham o conhecimento de qual seria o mínimo adequado e, mesmo assim, agiram para que a declaração de condição de estabilidade fosse concedida. Makoto Namba, em depoimento, chegou a afirmar que se sentiu coagido por Alexandre Campanha para assinar o documento.

A PF concluiu que os problemas da barragem também eram conhecidos porque, em uma análise de probabilidade de risco de rompimento feito pela mineradora, a estrutura foi colocada em zona de atenção. Isto significa que ela superava o que a própria mineradora preconizava como aceitável.

Procurada, a Vale informa em nota que avaliará detalhadamente o inteiro teor do relatório antes de qualquer manifestação de mérito. “A empresa e seus empregados continuarão contribuindo com as autoridades e responderão às acusações no momento e ambiente oportunos”, acrescenta o texto. A Tüv Süd também foi contatada, mas respondeu que não fará comentários sobre os indiciamentos.



A matéria continua após a publicidade
Publicidade

Deixe seu comentário:
Os comentários não representam a opinião da SP Rio +. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Últimas noticias
Economia, Política

Doria anuncia plano de retomada da economia

Foto: Governo de SP
O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (29) que vai dividir a região metropolitana de …

5 horas atrás
Esporte

Campeonato Brasileiro de Rúgbi, com São José e Jacareí, é cancelado

Foto: Divulgação/Fabio Lapa
A CBRu (Confederação Brasileira de Rugby) e os 12 clubes participantes do Campeonato Brasil de Rugby 15 decidiram, …

8 horas atrás
Cidades, Destaque, Saúde

São José dos Campos anuncia construção de hospital em 45 dias; após a pandemia local será pronto-socorro

Maquete da Prefeitura de como deve ser o novo pronto-socorro. Foto: Reprodução/PMSJC
A Prefeitura de São José dos Campos anunciou nesta …

9 horas atrás
Economia

Beneficiários do auxílio emergencial podem pagar compras via celular

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
A partir de hoje (29), os beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600 – R$ 1,2 …

10 horas atrás
Cidades

Marinha alerta para ressaca e ondas de até três metros no Litoral Norte

Foto: Divulgação
A Marinha do Brasil emitiu um alerta para a formação de ressacas e de ondas de até três metros …

10 horas atrás
Destaque, Economia

PIB brasileiro recua 1,5% no primeiro trimestre

Foto: Agência Brasil
O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, …

10 horas atrás
Destaque, Economia

Receita paga nesta sexta-feira as restituições do 1º lote do IRPF 2020

Foto: Agência Brasil

A Receita Federal paga nesta sexta-feira (29) as restituições do primeiro lote do Imposto de Renda de Pessoa …

11 horas atrás
Cidades, Coronavírus no Vale

Guaratinguetá confirma segunda morte por coronavírus

Ala de UTI utilizada para tratamento da Covid-19. Foto: Claudio Vieira/ PMSJC
A Prefeitura de Guaratinguetá confirmou, nesta quinta-feira (28), a …

1 dia atrás
Branded

Prefeitura de São José inaugura nova ala de enfermaria para tratamento da Covid-19

A Prefeitura de São José dos Campos inaugurou neste mês de maio uma nova ala no Hospital Municipal, com 40 …

1 dia atrás
Economia

Auxílio deve ser prorrogado, mas valor será debatido, diz Rodrigo Maia

Foto: José Cruz/Agência Brasil
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira (28) que acha “muito difícil” …

1 dia atrás